quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Pão Rústico de Cevada e Linhaça Dourada...e Lembranças Olfativas deliciosas!












Oi, queridos! Ando numa "onda" de pães, ultimamente! Deu para notar, não é?! Acontece é que agora eu tenho um tampo BOM para sovar a massa...antes eu sovava no balcão da pia da cozinha! Então estou tirando o atrasado e "mandando ver" na massa!!!!  E não tem coisa mais gostosa para quem faz o pão, do que ver seus queridos entrando em casa dizendo: hummmmmmmm...que cheirinho bom de pão! Isto caros amigos, é um tesouro que ninguém nos tira...nossas recordações! É isso que vai formar o que eu falava dia desses no facebook: a nossa MEMÓRIA OLFATIVA! Aquelas que lembramos com carinho, com saudades... Lancei aos meus amigos a seguinte questão:

"Qual lembrança DELICIOSA QUE TU GUARDAS? Aquela lembrança cheia de carinho, de conforto de um alimento, uma comida que tenha te marcado???? Por exemplo: minha avó paterna - a Vó Maria - fazia batatas cozidas cortadas em cubinhos com salsinha. Lembro do cheirinho que ficava na cozinha, da batatinha amarelinha e maciazinha...de como eu gostava!" E TU? DO QUE TENS RECORDAÇÃO?"

E daí surgiram muitas respostas...e uma constatação: LEMBRAR É MUITO BOM!!! As recordações voltam a mil, cheias de carinho...das nossas avós, das nossas mães, babás, tias...enfim...sempre tem alguém que nos marcou com sua comida deliciosa! Seja ela um simples docinho - no meu caso, uma batatinha cozida na água - ou um "baita" prato super, hiper, mega, blaster preparado!!!!

Deixo aqui, as respostas que "azamigas" me deram:

Adriana: Eu tenho saudades do bolo de café que a minha mãe fazia. Tudo era delicioso. Desde o cheiro até o gosto. Bolo com amor de mãe.

Gisele:  Eu me lembro dos bolinhos de chuva(porém salgados que era o que eu adorava) que minha avó materna fazia para nós(nétaiada) com vários formatos e que ela começava a brincadeira de adivinhar com o que se parecia cada um que saia da frigideira... Delicinha de bolinhos e de vó amada da minha vida!!!

Erika:  Quarta feira, era dia de toda família almoçar na casa da minha avó. E as almôndegas que ela fazia, com aquele molho de tomate... hummm morro de saudades!

Gisele:  Nossa quase chorei agora lembrando de nós tudo em volta do fogão esperando para ver o que aquele bolinho ia parecer...amei a ideia de relembrar, sem contar na delicia do sabor e dos cheiros! Bjus Ana!

Fátima: Eu tenho duas: aos 8 anos, vendo sítio do picapau amarelo, sexta a tardinha, deitada no chão, e a mãe batendo bolo de mel. Outra era cheirinho de salvia e azeitonas, cozinhando perdizes desde as 6 da manhã. Muita saudade!

Ieda:  Peito de perdiz no molho, e os capeleti! O que coisa boa! Saudade!

Vania: Eu tenho diversas lembranças, mas a mais saudosa de lembrar o gosto e o cheiro de casca de pinhão defumado, nunca esqueço, meu nono fazendo pinhão na chapa.... Tem a da nona: casca de polenta da panela de ferro, rsss

Caroline: Uma galinha com molho branco maravilhosa que se gratinava no forno e um file, nega maluca com cobertura QUE SO ELA SABE FAZER kkkkk

Uegli: No meu caso não é uma comida em especial, mas lembro com gosto de como era o retorno da escola... voltava sempre a pé para casa e quando chegava no portão já sentia o cheirinho da comida da mãe, e o melhor... a mesa cheia, ainda na época em que manas ainda habitavam a mesma casa..Bons tempos aqueles!

Janete: do tatu recheado que minha mãe fazia com polenta mole uhhhhhhhhh que saudades.

Ana Carmen: Tem tantas...mas coincidentemente, na semana passada recordei muito do CUSCUZ que a minha avó fazia em um prato fundo. Depois enrolava o prato com a farinha naqueles panos de prato branquinhossss para colocar no bafo de uma panela com água quente para cozinhá-lo... ficava uma delícia! Que cheirinho bom! Depois de pronto se comia com leite , geralmente tirado da vaquinha que meu avô tinha no sítio. Aninhaaaaa descobre a receita pra mim?

Andrea: os doces e as tortas que a minha vó faziaaa!!!!!!!!! que saudades!!

Liziane: o tortéi enrolado que minha avó fazia, divino

Juliana: Cuscuz sem dúvida é uma das minhas lembranças... E quando não tinha cuscuzeiro ia no prato mesmo, enrolado num pano! Meu avô (sergipano) comia com ovos todos os dias. Já minha vó (catarinense) fazia rosca frita, maionese caseira, um bife único, arroz soltinho que dava vontade de comer puro e peru recheado no Natal!

Teresa: humm o bife acebolado da minha mãe...não tinha para ninguém e era tãoooooooo bomm...

Carem:  Aproveita e escreve um livro Ana!!

Sandra:  Bolinho de chuva,que a mãe fazia em dia de chuva !

Solange: Uma das lembranças mais marcantes era do pão assando no forno de barro da minha nona, sempre aos sábados de manhã. Este forno ficava em um terreno no meio de nossas casas, onde era o pomar (laranjas, bergamotas, limões e limas). O ritual era sempre o mesmo: varrer o forno com a vassoura de galhos, fazer o fogo e colocar os pães. O cheiro nunca mais saiu de minha memória.  E até hoje eu teimo em tentar acertar um pão de forno, só pelo prazer do cheiro dele assando.

Edith:  Recordar é viver.......Muito bom ....

Gabriela: Lembro de um peixe que minha vo fez na praia lá por 1990 e algo. Era ensopado, e na folha de bananeira. .. dos deuses.


Alda: Lembro da minha avó Élia esmagando amendoim com o rolo de abrir massa para depois fazer os docinhos... Era uma festa, porque isso acontecia poucas vezes...

E para fechar este post com chave de ouro, deixo aqui uma receita realmente deliciosa...este pão rústico cheio de aroma e sabor!

Rende 2 pães.

Você vai precisar de:

2 xíc. de chá de farinha de trigo
2 xíc. de chá de farinha de cevada ( só consegui a cevada como a aveia em flocos grossos...então, passeia no processador)
4 col. de sopa cheias de farinha de linhaça dourada
2 ovos
3 col. de sopa de manteiga em ponto de pomada (aqueça-a 30 segundos no microondas)
2 1/2 col. de chá de fermento biológico granulado
3 col. de sopa de açúcar
1 col. de chá cheia de sal
1 xíc. de água morna

Faça assim:

Numa tigela pequena, misture bem a água morna, o fermento e o açúcar. Tampe e deixe por 20 minutos dentro do forno do fogão (desligado) para que o fermento cresça. Aguarde este tempo.
Numa bacia, misture as farinhas, o sal, os ovos,a manteiga e o fermento. Retire da bacia e começe a sovar a massa. Sove por 5 minutos. Se necessário, adicione mais farinha de trigo para dar o ponto de sova. Faça uma bola , coloque de volta na bacia, cubra com um pano de prato e leve a massa para dentro do forno (desligado) para crescer por 1 hora - não vai crescer muito porque é uma massa bastante pesada.
Retire do forno, divida a massa em 2 partes iguais. Sove cada uma das partes e modele os pães. No meu caso, fiz pão-bola. Unte e enfarinhe a (ou "as") forma que o pão vai assar. Coloque os pães modelados nela e leve ao forno para de novo, descansar por mais 30 minutos. Ao final deste tempo, espalhe farinha de trigo sobre os pães e faça cortes em cima deles com uma âmina BEM afiada. Ligue o forno a 180ºC e asse os pães por 40-50 minutos - dependendo do forno. 

Ufa...e aí? Legal, né? Eu AMO fazer pão!!!!
Por hoje é só, amigos!
Um beijo...e um queijo!

5 comentários :

  1. Ai que postagem linda, cheiro de coisa boa e carinho no ar.

    ResponderExcluir
  2. Emocionada com o carinho. E obrigada por reviver estas lembranças em minha memória. <3
    Solange

    ResponderExcluir
  3. Lindooooooooooooooooo e yummmmyyyyyyyyyyyyyyyyyyy!!bjkasss ANINHA!!!!

    ResponderExcluir
  4. O pão está maravilhoso até me deu água na boca! O que eu lembro que me trás saudade e a polenta com frango que minha mãe fazia, e até hoje quando fico sem apetite (perco o apetite quando estou triste) é essa comida que me dá conforto!
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Delicia de Aninha, coisas gostosas de relembrar! Carinho, amor, família, misturadinhos com cheiros, gostos... hummmm....

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...